Nas Gavetas Escondidos #28

Parlamento húngaro aprova construção do muro para travar imigrantes


A Hungria localiza-se no cerne da Europa Central e integra a União Europeia desde 2004. Os valores dessa União são: respeito da dignidade humana, liberdade, democracia, igualdade, Estado de Direito e respeito pelos direitos humanos.

Ao contrário de tudo isto, o Público noticia que "o parlamento da Hungria aprovou na terça-feira um novo pacote de leis que permitirá ao país, segundo a pretensão do Governo, controlar o crescente fluxo de imigração dos últimos meses. A assembleia nacional deu luz verde à construção de um muro de quatro metros de altura [e uma extenção de 175 quilómetros], ao longo da fronteira com a Sérvia e aprovou uma série de medidas anti-migração".

As novas leis pretendem, segundo o ministro do Interior, Pinter, facilitar a “identificação entre os migrantes que precisam realmente de proteção e os que são tipicamente migrantes económicos”.

Opinião

As novas medidas entrarão em vigor em agosto. Clarificando, em agosto teremos o mundo dividido visivelmente, já que a separação norte/sul só não existia no mapa

"O Governo afirmou que este ano já entraram no país perto de 72 mil migrantes, um número significativo quando comparado com os 43 mil que chegaram à Hungria, durante os 12 meses de 2014". Porém, embora o número seja significativo, nada justifica a criação de um muro. Nada justifica o fim dos ideais da União Europeia como a conhecemos inicialmente.

"O muro, diz Lazar, 'é temporário' e a sua existência dependerá de uma 'solução definitiva' por parte da Europa". Desde quando é que um muro construído é temporário?! Algum dia há de ser derrubado como o Muro de Berlim, mas temporário não há de ser. 

Apoio a opinião de Cecilia Wikström, porta-voz para as Migrações do grupo do Parlamento Europeu, a Aliança dos Liberais e Democratas pela Europa (ALDE). Cecilia disse que as novas medidas húngaras são “inaceitáveis”, “xenófobas” e “contrárias às leis europeias”

O papel dos meios de comunicação também deve ser visto como não cumpridor, dado que este é um caso que merece ser manchete. Este é claramente mais um desafio à União Europeia. Honrem o Prémio Nobel da Paz que receberam em 2012. 

3 comentários:

  1. Também concordo com a opinião da Cecilia Wikström, é uma medida completamente xenófoba! E quando ao muro ser temporário, ninguém constrói um muro temporariamente como se dissesse "hoje apetece-me, amanhã ou depois tiro-o", é absurdo.

    R: Fico feliz por poder levar até ti um bocadinho da tua infância colega e ainda mais por te ter deixado contente :) Da próxima vez já sabes: tens de sair do carro ahah

    Beijinhos princesa!!

    http://bloguedacatia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo colega! Um muro "temporário" é ridículo.

      Ahahah
      Beijinhos!!

      Eliminar
  2. Um muro temporário ahahahah -- este povo está parvo ou que?

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pin It button on image hover