Nos "Media": O dia em que me pediram o Registo Criminal

Como já tinha dito aqui, tenho novidades: o meu texto sobre o registo criminal foi publicado pelo jornal regional Ramo d'Além. A opinião (inicialmente publicada neste blogue) que a seguir transcrevo foi adaptada ao referido órgão de comunicação.
Já fiz voluntariado num lar de terceira idade, em arqueologia, missão no Alentejo. Colaborei e colaboro com alguns jornais. Ah! E passei pela cozinha de um restaurante e por lojas de costura. NUNCA me pediram o meu registo criminal. Tenho ar de assassina? Ou de violadora?
Nada disso. Bem, estas "férias" vão ser recheadas de muito estudo e trabalho. Voluntariado no projeto "aTerra" tal como na colónia de férias da Cáritas. O registo criminal foi-me pedido precisamente por causa de ser monitora na colónia de férias. Vou trabalhar com menores. Meninos e meninas que merecem de facto serem tratados como pessoas. Essa minha listagem de crimes tem TODOS os crimes que eu já cometi. Ou seja, nenhum.
Ainda bem que assim é. Porém, nunca assim foi. Porque é que nos meus 3 anos de voluntariado com idosos nunca, jamais e em tempo algum me pediram o registo criminal? Tinha 13 anos quando comecei, e depois? Será que ninguém lê notícias e olha para a realidade tal qual ela é? 
Governo de Portugal e governos mundiais, compreendam que as crianças e os idosos são dois grupos de pessoas que nem sempre são tratados como tal. Muitas vezes indefesos, crianças e idosos sofrem maltratos, violações, et cetera. É necessário pedir o registo criminal para trabalhar/fazer voluntariado com essas pessoas. É necessária formação para trabalhar, nomeadamente com idosos.
Quantos são os lares nos quais as pessoas são maltratadas? Quantos? Pois é. Talvez o contacto com outras instituições seja necessário. Para se ser auxiliar de lar não é necessário um curso superior, mas são necessários valores como o respeito, a amizade, a capacidade de trabalhar em grupo e o amor pelos outros. Sejam eles teimosos ou faladores. As pessoas merecem o nosso respeito. E o sorriso e carinho deles vale muito, portanto vivam o carinho que eles dão e deixem o vosso registo criminal limpo.

Artigo de opinião publicado no jornal regional impresso Ramo d'Além Nº134, julho de 2015, página 09.

Foto: Cláudia Pereira. DR

4 comentários:

  1. Também faço voluntariado com instituições que trabalham com crianças e nunca me foi pedido o meu registo criminal, mas realmente é uma coisa que faz sentido!
    Beijinhos

    Ana Teresa Lontro
    umavidadelontra.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também considero que faz todo o sentido.
      Comentários positivos/negativos são sempre bem-vindos desde que construtivos. Obrigada!
      Beijinhos,

      Eliminar
  2. Faz todo o sentido!
    E muitos parabéns pelo mérito! :)

    Ela e Ele.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pin It button on image hover